O conselho conforme o islamismo

Opinião
Guaíra, 26 de janeiro de 2016 - 10h34

Muitas pessoas nos dia de hoje vivem se preocupando com seus próprios problemas e sequer tentam ajudar outras pessoas, que se encontram no erro, com algum tipo de dificuldade, sejam elas financeiras, questões de saúde, dúvidas, etc, tornando-se assim pessoas individualistas. O conselho ao outro faz parte das bases do Islamismo, principalmente porque vivemos em sociedade, necessitando sempre da ajuda do outro. Deus, diz no alcorão: “Pela era, que o homem está na perdição, salvo os crentes, que praticam o bem, aconselham-se na verdade e recomendam, uns aos outros, a paciência!” (103:1-3). Este versículo nos mostra que Deus Jura pelo tempo, dizendo que todos os seres humanos estão na perdição, dando a nós o antidoto para sairmos desta situação, que são: praticar o bem, sempre aconselhar o outro na verdade e recomendar a paciência, para termos assim o verdadeiro sucesso. O conselho possui uma série de boas maneiras que dizem respeito a quem concede o conselho e a quem é dado o conselho, devendo ocorrer boas maneiras de quem aconselha, a sinceridade de alertar, honestidade e querer o bem do próximo. De nada adianta querermos dar um conselho, se em nosso íntimos queremos outra coisa, e aqui entra a sinceridade, pois Deus sabe o que se passa no íntimo dos corações. Para isso devemos ter além da sinceridade, conhecimento e sabedoria, para sempre dar um conselho correto, que beneficia e ajuda o próximo. Deus diz no alcorão: “Convoca (os humanos) à senda do teu Senhor com sabedoria e uma bela exortação; dialoga com eles de maneira benevolente.” (16:125). De nada adianta aconselhar o outro, se não termos um bom diálogo, esclarecendo os perigos que a pessoa pode encontrar, as consequência de persistir no erro, onde devemos ter sempre carinho e afeto quando formos dar o conselho. O Profeta Muhamad (sws) disse: “Os direitos do muçulmano sobre outro são seis.” Foi-lhe perguntado: “Quais são,” Respondeu: “Ao encontrá-lo deve saudá-lo, ao convidá-lo deve aceitar o convite, se pedir o seu conselho, você deve dá-lo, ao espirrar, você deve desejar alívio a ele, ao ficar doente você deve visitá-lo, se morrer você deve seguir o seu féretro.”   Além das regras acima, há uma muito importante, que é jamais aconselhar uma pessoa em público, na presença de outras pessoas, mostrando seus erros, escandalizando a mesma, onde o correto é fazer em segredo sem nenhuma outra pessoa saber e quando formos falar em público, dar conselhos gerais sem identificar qualquer pessoa.   Por fim devemos evitar o conselho do ignorante ou corrupto, porque o prejudica de onde menos espera, onde invés de ajudar, pode colocar a pessoa para baixo ou torna-la ainda pior em relação a situação que se encontrava.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente