Os testes desta vida

Opinião
Guaíra, 30 de março de 2016 - 09h02

Os seres humanos muitas vezes acham que estão nesta vida apenas para trabalhar, ganhar dinheiro, ter família e se divertir, se esquecendo do principal que é adorar a Deus e ter um bom comportamento. Se a vida fosse apenas diversão e entretenimento, por qual razão há infelicidade, mortes de pessoas queridas, altos e baixos e outras adversidades que todos sem exceção passam nesta vida. Deus assim diz no alcorão: Que criou a vida e a morte, para testar quem de vós melhor se comporta – porque é o Poderoso, o Indulgentíssimo- (alcorão 67:2). Isso quer dizer que Deus criou a morte e criou a vida para testar os humanos, quem pratica as boas ações e quem é mais sincero na sua prática. Deus é Todo Poderoso, nada poderá se sobrepor à Sua vontade, Ele não se cansa em fazer as coisas, e é Indulgente para aqueles que pedem o Seu perdão, que se arrependem para Ele. Nesse versículo há incentivo para a prática das boas ações e estímulo para as pessoas afastarem-se das más ações. Em outro versículo Deus nos mostra alguns tipos de testes que o ser humano poderá passar: “Certamente que vos poremos à prova mediante o temor, a fome, a perda dos bens, das vidas e dos frutos. Mas tu (ó Mensageiro), anuncia (a bem-aventurança) aos perseverantes –  (Alcorão 2:155-157). Quantas pessoas não possuem o medo, quantas no mundo não passam fome, perdem seus bens, a vida de entes queridos, etc, sendo cada um destes um teste que as vezes é dado a uma pessoa e outros a pessoas diversas. Portanto, vemos que Deus testa as pessoas por meio tanto das adversidades quanto das bênçãos, mas independentemente do tipo de teste, os fiéis são os que se mantêm gratos a Deus nos dois extremos. De fato, todos os profetas de Deus foram testados. Isso mostra que Deus concede tribulações a Seus servos virtuosos e devemos ficar orgulhosos de estar na companhia deles.  Também devemos imitar o comportamento deles, sendo perseverantes e pacientes em tempos de tribulação. O profeta Mohamad (SAAWS) disse: “O amor a este mundo é a cabeça de todos os erros.” Aquele que vive como escravo desta vida, com amor excessivo ao materialismo é a pessoa infeliz, tendo uma vida de miséria, de angústias e frustrações. Basta ver que uma pessoa pode enganar, ser desonesta, mentir, roubar, trair a confiança das pessoas, exigir algo sem ser de seu direito, agradar os outros desagradando a Deus, abrir mão de seus princípios para ter alguma vantagem deste mundo passageiro, etc, mas se esquece que um dia será julgada pelo Juiz dos Juízes, que não falha jamais. Portanto, devemos ser conscientes da realidade desta vida e que ela é passageira e pode nos enganar se não estivermos atentos, para que não nos desviemos da verdadeira vida, a eterna. Quem estabelece como objetivo principal a satisfação de Deus e as recompensas da outra vida será amado por Deus, e quem evitar competir com seus semelhantes em relação a assuntos mundanos será amado pelas pessoas.  E essa riqueza – o amor de Deus e não da humanidade é muito maior que qualquer riqueza que o dinheiro pode comprar. Quando a calamidade recai sobre um de nós, ele deve saber que há nela um bem, mesmo que não seja aparente a princípio.  Por meio da aflição os pecados são expiados e as almas purificadas, onde por meio das tribulações os perseverantes são testados por Deus e somente os resolutos serão bem sucedidos.  É com base nisso que Deus concederá o bem no devido tempo, nessa vida ou na vida após a morte.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente