Marlon: “é preciso investir no potencial turístico de Guaíra”

Marlon Aparecido Costa Francisco

Entrevistas
Guaíra, 16 de março de 2020 - 11h43

Marlon Aparecido Costa Francisco, guairense apaixonado por esta terra, vê no turismo um potencial enorme para fomentar a economia de Guaíra que, segundo ele, pode explorar o setor rural, o religioso e diversão (são as festas, Carnaval, ECAL, Undokai).    Precisou sair de Guaíra para vê-la de fora e descobrir toda a sua beleza. Tem ideias claras e objetivas para tornar a cidde um polo turístico que traz divisas, que gera renda e serviços. Lembra que Guaíra já foi considerada a quarta cidade melhor para se viver, dentre 5 mil municípios. Porém, falta foco, segundo Marlon. Ele termina dizendo que “Se todos guairenses que estão fora, voltassem para Guaíra ao mesmo tempo, não  caberia” e informa  que o  nome de maior relevo no turismo no Brasil e guairense – Paulo Coscrato!

 

Até os 19 anos você esteve por aqui, depois disso o que aconteceu?

Então, até 19 anos estive por aqui, depois tive uma breve experiência em Uberaba, onde me formei em “Propaganda e Marketing”, pela  UNIUBE,  logo em seguida, fui morar em Barretos e atualmente resido em Encarnacion, no Paraguai.

 

Em Guaíra, só a passeio?

Eu venho porque visito minha família, que está aqui, então aproveito para dar suporte para os meus clientes da região:  Barretos, Olímpia, tenho uma gama enorme de clientes que adquiri com o meu trabalho.

 

Você não para! Tem viagem marcada para onde proximamente?

Estou com viagem programada para Lagos, Algarve, em Portugal e logo depois vou assistir um festival em Nazaré (onde possuem as ondas gigantes, de 20 metros de altura). Neste local haverá a apresentação do embaixador da empresa que eu represento, da “Surfland do Brasil”, que é o Gabriel Medina e mostrar que temos, no Brasil, os maiores e melhores competidores nesta área.

 

E você fará o quê exatamente em Portugal?

Basicamente eu faço Análise de Mercado! Eu preciso saber “quanto” que a empresa vai ter que gastar para abrir uma filial lá, quanto vai custar para conseguir clientes em Portugal. Veja,   Portugal tem  uma moeda diferente, o custo é em Euro, preciso analisar se é viável o investimento, embora existam milhares de brasileiros  morando lá, é preciso cautela e avaliar o investimento.

 

Qual é o seu grande sonho?

Olha estou nesse ramo de Turismo há muito tempo! Vejo cidades muito menores do que Guaíra, do que Barretos, com menos recursos, por exemplo Pomerode, em Santa Catarina, Pirenópolis, em Goiás, se tornaram polos turísticos.

 

Então seu sonho é ver Guaíra como um polo turístico?

Vejo um grande potencial em nossa cidade! Um potencial inexplorado! Existem áreas verdes, existem estâncias, hotéis fazenda! Vejo o caso da “Estrela Guia”, um local maravilhoso, excelente!

 

O que falta então?

Olha o exemplo de Miguelópolis! Não se pode começar um empreendimento sem dar seguimento! Sabe-se que, hoje, a única área que não teve baixa, economicamente falando, é o turismo!

 

Como assim?

Veja bem: eu moro no Paraguai e trabalho em Shangrilá, no Rio Grande do Sul, e por lá, de segunda a segunda, todos os bares estão lotados!  A beira da praia está lotada, sabe a razão? A prefeitura investiu no turismo. Notou que é um nicho muito bom de mercado. O morador da cidade investe até um ponto, depois disso é necessário trazer gente de fora para investir.

 

Dá para fazer isso aqui?

Nós temos o Clube de Campo que é uma área magnífica! Eu já vi “Beach Bares” em praias de água doce, maravilhosas. Em Encarnacion, onde moro acontece isso e fica sempre lotado. É a mesma coisa do Clube de Campo, usando aquela área, investindo na praia artificial, fazendo um bar adequado, dá para trazer gente.

 

E isso aquece a economia da cidade, não é?

Exatamente! A rede hoteleira vai ganhar, os supermercados vão ganhar; tendo uma praia artificial, o cidadão às vezes não vem preparado com uma roupa de banho, com uma toalha, o comércio vai crescer!

 

O que falta então?

Enquanto o guairense ficar focado somente na sua zona de conforto, nada sai do lugar. É preciso alguém visionário, alguém que acredite no potencial da cidade, que invista financeiramente e transforme nossa cidade em um polo turístico!

 

Na sua visão, Barretos é um polo turístico?

Barretos não é um polo turístico porque só tem movimento 10 dias por ano. Barretos tem a festa do Peão e pronto! O comerciante de Barretos tem que se preparar o ano inteiro para trabalhar somente 10 dias!

 

Aqui pode ser diferente?

Claro que sim! Além do Clube de Campo que eu já citei, pode-se explorar o turismo rural! Eu conheço pouquíssimos locais que tenham o potencial que Guaíra possui!  O que é bonito de se ver ainda está preservado na nossa região. Descendo no sentido do Rio Grande, onde se encontra com o rio Sapucaí, aquilo é maravilhoso, dá para visualizar a linha reta das águas escuras do Sapucaí com as águas do Rio Grande.  Isso é fantástico! As fazendas, os casarões, por que não investir?

 

Você se entusiasma quando fala de Guaíra e do turismo, por quê?

Porque conheço cidades que não têm nada, que há 20 anos não eram nada e se transformaram em potências turísticas! Veja, Guaíra é uma cidade plana, pode-se explorar o passeio de bicicleta, por exemplo!  Pode-se promover caminhadas!  Em Janeiro temos a caminhada do Pindoba.

 

Isso já seria o turismo religioso, não é?

Vou te dar um exemplo: vi o que o turismo religioso é capaz de fazer em uma cidade.  Em Trindade, por exemplo, estão construindo uma Igreja, uma construção faraônica que movimenta uma cidade inteira! O Brasil ainda é um  dos países mais católicos do mundo, mas não é só o catolicismo…

 

Então dá para explorar também o turismo religioso por aqui?

Evidentemente! É simples fazer, precisa somente saber o que fazer! Dou o exemplo de Fortaleza, que só tem a avenida da orla, é somente avenida beira-mar, se pular um quarteirão, é só favela! Então, tem que se saber explorar! É uma rua que gera mais de 6 bilhões de reais por ano.

 

Então…

Guaíra tem tudo! Temos mais que Barretos, mais que Olímpia, que Ribeirão, nossa área e a diversidade são maiores. Temos mais de 10 gamas de ofertas de turismo. Somente com 3 pontos turísticos (Rural, religioso e Diversão) se é capaz de trazer milhares de pessoas para cá.

 

Assim, para arrematar?

Queria que mais pessoas olhassem para o mesmo ponto que eu olho. Saindo daqui foi que vi a grandeza dessa nossa terra. E afirmo sem medo de errar, Guaíra pode sim se tornar uma grandeza e uma cidade de turismo no futuro.

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Entrevistas
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente