Juventude, Dinamismo e comprometimento com seus clientes

Maíra Garcia Leal Lelis, é formada em Turismo com ênfase em hotelaria, desde 2002 e por muito pouco não perdemos a empresária guairense para um intercâmbio, na Califórnia, onde iria cuidar de crianças. Tem cidadania Italiana e uma característica marcante no perfil de jovem e bonita empresária é o seu otimismo no futuro. Acredita que dias melhores virão e não abre mão da crença nas pessoas de bem

Entrevistas
Guaíra, 28 de julho de 2019 - 08h30


Como é esta história de intercâmbio?

Quando terminei a faculdade, fiz um ”intensivão” de Inglês e já estava praticamente tudo pronto, tudo certo, eu iria estudar e cuidar de crianças, na Califórnia, mas aí um dia, apenas um dia antes de bater o martelo nesta empreitada, surgiu um placo para eu comprar (risos)…

 

Aí você desistiu?

Então, ponderei bastante, havia facilidade nesta compra do palco, já tinha trabalhado com isso, já havia até uma equipe conhecida de Ribeirão Preto e pela facilidade de estar aqui, em nossa cidade, acabei ficando.

 

Deve ter sido a mão do destino?

Pois é, depois apareceu mais um palco, depois outro, já neste meio apareceram os banheiros, após isso vieram as tendas e fui ficando nesta área por nove anos. Fui ficando, na prestação de serviços. E depois parei pela mesma causa: A prestação de serviço, que é muito difícil…

 

De prestadora de serviço para uma empresária de sucesso, como de deu esta passagem?

Na verdade eu sempre gostei de vender. Esta característica faz parte do meu perfil. Eu gosto de negociar, de vender, do contato com as pessoas. Apareceu esta loja, já todinha montada, bem organizada então achei que tinha trabalhar com as embalagens, tinha potencial, então investi. Fui vendendo os palcos, ainda conservo alguns palcos pequenos, baixinhos que alugo para casamentos, festas. Neste meio de tempo fiz um curso para ser corretora de imóveis, tenho o CRECI onde posso também prestar serviço nesta área.

 

Trabalhar com embalagens foi um novo aprendizado?

Exatamente. Era uma área desconhecida, mas como eu sei vender, o que colocar na minha mão eu vendo, fui aprendendo. Por incrível que pareça é mais difícil vender embalagens do que uma locação de placo, por causa da concorrência. Eu estava acostumada ao ar livre, então ficar atrás de um balcão foi um exercício de aprendizado, apesar de que saio muito, vou atrás dos clientes. Mas são coisas completamente diferentes.

 

Onde se localiza sua empresa?

Estou há seis anos no mesmo endereço: Na Avenida José Flores, esquina com a Av. 25, bem em frente ao galpão da feira livre. Abrimos aos sábados até às 16 horas e aos domingos até o meio-dia.

 

O que mais se vende na sua empresa?

Tenho ali basicamente quatro segmentos: Primeiro, materiais de confeitaria, ou seja, suporte para bolos, chocolate, chantily, granulados, bandejas de isopor e de alumínio, formas, saquinhos para confeitar… Segundo, a linha de festinha de aniversário: balas de côco, pratinhos, enfeites, painel, forminha de brigadeiro, convitinhos, brigadeiros prontos… Terceiro, a linha de descartáveis: Aí engloba tudo, copinhos, garfinhos, saquinhos de papel, sacolas, papel acoplado para padarias, sacolas de marcado, saquinho de pipoca, embalagens para pizza, marmitas, assadeiras, saco de lixo… Quarto, que é a linha institucional e limpeza que englobam o papel higiênico grande, papel entrefolhado, toalhas para enxugar mãos, suportes, lençol hospitalar, produtos brancos destinados às clinicas, produtos de limpeza de um modo geral, que entra aí o álcool em gel e assim uma coisa vai puxando a outra.

 

O que é o seu carro chefe de vendas?

Tudo é muito dividido. Sai muito os produtos institucionais direcionados para empresas. Vendo muito a sacolinha branca e sacolinha reciclada que é mais grossa.

 

O comercio de Guaíra te recebeu bem?

Muito bem. Estou localizada em um bairro muito diversificado, tem de tudo, tem academia, loja de ração, mercado, loja de roupas, ferramentas, vende-se peixinhos, encontra-se de tudo por lá. Eu costumo dizer que o nosso bairro se parece com a Avenida D. Pedro de Ribeirão Preto.

 

Agradecimentos…

Primeiramente a Deus, sempre, meu pai, minha mãe, irmão, me ajudaram e ainda ajudam muito. Aos guairenses que acreditaram no meu trabalho. Minha empresa é basicamente familiar. Trabalham lá minha mãe e eu. Estou realizada e feliz, mas sei que ainda posso melhorar muito. Sou grata aos clientes que saem do centro comercial tradicional e visitam as lojas que estão nos bairros. Ali, existe praticamente outra cidade. Tem ali grandes empresas que prestam serviços de qualidade. Consegui fazer um trabalho fidelizando os clientes aos quais sou grata. Costumo dizer que o comercio é uma via de mão dupla, eu agrado aos meus clientes com a qualidade dos produtos e dos serviços e eles me agradecem com a sua fidelidade.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Entrevistas
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos