Wilian da RDW | tecnologia sempre a frente

Wilian Pires da Silva, 37 anos, casado com Amanda e pai de Lorenzo de apenas três meses. Guairense, corintiano, inteligente e dono de um incrível bom humor, é também proprietário da empresa RDW – Tecnologia e Assessorias em Softwares. Formado em Sistema de Informação pela UNIFRAN, hoje dá consultoria nessa área dentro da nossa cidade, mas também fora daqui: Guaianésia, Planura, Conceição, Miguelópolis, Ipuã, e outras. Wilian já deixou festas familiares para atender seus clientes e essa dedicação faz com que tenha clientes fiéis.

Entrevistas
Guaíra, 26 de agosto de 2019 - 11h35


Onde passou sua infância?

Sou da periferia de nossa cidade. Cresci na Cohab II. Minha origem humilde e a formação dada pelos meus pais, Marlene e José Augusto, me deram suporte para ser um bom aluno e hoje um cidadão realizado. Fui menino do meu tempo: Futebol na rua, natação era no córrego, com o dedão ralado, alguns até pensam que sou meio ”nerd” mas não é isso. E boa parte dos meus amigos também está bem realizada: O André por exemplo, é subgerente de uma Usina, em Goiás.

 

Estudou sempre em escolas públicas?

Sempre. Tenho gratas recordações dos professores que fizeram muito esforço para passar conhecimentos para os alunos. Lembro-me da Dona Maria José, Lenita, Martinha, Tania, Altina, Liliane, outros tantos que tenho uma gratidão eterna.

 

Você não pode errar não é? Então o que te distrai?

Verdade. Não se pode errar. Mas tenho a satisfação de me sentar numa mesa, com minha esposa e falar dos assuntos da empresa que não é qualquer pessoa que entende. Mas a televisão me distraí, o futebol descontrai também e a conversa com os amigos.

 

A faculdade dá ferramentas para trabalhar com computadores?

A faculdade tradicional, como conhecemos, dá a linguagem, dá condições para criar projetos, organogramas, oferece uma visão geral. Dá um Inglês instrumental, mas terminando a Faculdade, há ainda muito caminho. É preciso ter experiências. Não basta ter o conhecimento sem a experiência.

 

Então, você gosta muito de computador?

Na verdade não. Ele é uma ferramenta de trabalho. Já virei madrugadas desenvolvendo projetos. Hoje é gratificante entregar um projeto. Tenho satisfação de responder aos anseios de quem me procura, de quem precisa do serviço que o computador pode prestar.

 

Antes de se sentar à frente de um computador, o que acontece?

Trabalho com calculadoras, lápis, régua, estatísticas. Tudo tem que ser milimetricamente acertado.

 

Quando deu o ”start” para gostar e entender dos mecanismos da tecnologia?

Para se ter uma ideia, começamos a Faculdade com duas turmas de 80 alunos e terminamos com apenas uma turma de 35 alunos. Apenas mais uma pessoa – daqui de Guaíra – terminou a Faculdade comigo, mas, mesmo assim, não atua na área. Sempre trabalhei com computadores…

 

Desde quando?

Desde os 13 anos, quando comecei a trabalhar no escritório do Sr. Teodoro Mendonça, já encontrei quem me incentivasse, porque achava que eu ”levava jeito”. Minha intenção era fazer Direito, mas vi que realmente o mundo dos Softwares tinha muito a oferecer. Então, fiquei mais um tempo no escritório, até que resolvi arriscar! Montei uma empresa – a RDW – e fui me aventurando. Já criei alguns projetos, como por exemplo sistema de armazéns de grãos, a nota eletrônica que saiu o ano passado, sistema de Farmácias, Sistema de folhas de Pagamentos, o ESocial, que era uma coisa nova, criada no governo do Michel Temer, que os escritórios de contabilidade ficaram assustados por ser uma iniciativa recente e eu fui fazendo as adaptações.

 

Se alguém criar hoje, uma empresa…

Eu faço o Sistema partindo do zero. O empresário me passando o projeto, o que ele pretende, seus objetivos, desenvolvo este projeto todinho. Como trabalhei no escritório do Sr. Teodoro, tanto na parte administrativa como no departamento pessoal, penso que adquiri muita experiência. Mas para fazer um Sistema de Notas Eletrônicas, eu precisava aprimorar meu conhecimento em contabilidade, precisava fazer um estudo para não sair fora de regra e dar prejuízo para as empresas.

 

Ainda há muito o que desvendar dentro da tecnologia?

Há novidades todos os dias. Por exemplo, alguns clientes de Armazéns de grãos, o ”servidor” dos computadores deles fica no meu escritório. Jamais posso ficar sem a Internet. É de lá que monitoro as pesagens.

 

Aparecem vírus?

Recentemente, apareceu um vírus e, se eu não tivesse uma rotina firme de backup, poderia gerar prejuízo tanto para mim quanto para o empresário. Meu antivírus acusou que estavam tentando entrar, invadir… Por mais que se faça investimentos caros, com senhas difíceis, as pessoas conseguem invadir. Eu fui rastrear de onde vinham estas invasões, através do IP, detectei que vinham de Amsterdam, de Boston, mas não necessariamente que estas pessoas que estavam tentando me atacar eram dessas localidades, as pessoas desenvolvem robozinhos que ficam batendo para entrar e muitas vezes os donos dos IP’s nem sabem que estão sendo usados.

 

Está tão em moda falar em hacker, você poderia ser um hacker?

Definitivamente não. Não faz parte do meu perfil. As empresas de segurança investem muito neste setor. Muitas vezes, os hackers entram em um sistema exatamente para mostrar para estas empresas onde podem trabalhar mais em cima. Assim, o trabalho tem que ser constante. Recentemente, atacaram o Hospital de Barretos, até o sistema de Saúde da Inglaterra – que é um dos mais sofisticados – também sofreu invasão. Eles embaralharam os arquivos e desapareceram com o histórico dos pacientes.

 

Agradecimentos…

Sou muito grato aos meus professores, aos clientes, a Deus, em primeiro lugar, minha família, a tudo que aprendi dentro do escritório do Sr. Teodoro Mendonça. Ao Rodrigo – que trabalha comigo; à minha esposa, sempre amiga e companheira; aos ensinamentos e valores que meus pais me passaram; ao meu sócio, Rodnei, que não está mais entre nós, mas devo muito a ele; em especial aos familiares da minha esposa, ao meu sogro, que hoje posso afirmar sem medo de errar que é meu melhor amigo. Sou grato à vida e ao que ela me ofereceu…



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Entrevistas
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos